Rapel na Cachoeira de Sodrelândia – Uma aventura de 70 metros de queda d’água


No último fim de semana, um grupo de montanhistas se reuniu no município de Trajano de Moraes, Rio de Janeiro, com a intenção de realizar uma confraternização em especial: comemorar o aniversário de 27 anos do amigo Anderson Trekkinho. Confira abaixo os relatos e as fotos tiradas pelos aventureiros:

Jorge, Rodrigo e PC
Muito mais do que uma comemoração, os sete montanhistas tinham a intenção de realizar um rapel em uma cachoeira, localizada em Sodrelândia, município vizinho de Trajano de Moraes. Anderson acolheu todos os amigos em sua casa para um grande churrasco, onde puderam assistir à vídeos e fotos dos maiores escaladores do mundo, discutirem sobre os esportes off-road e ainda planejarem o calendário da temporada de 2012. Enfim, o aniversário fora apenas uma desculpa para se botar em dia conversas de montanhismo.

O tempo chuvoso durante a semana inteira poderia até desanimar os aventureiros, mas o amanhecer do dia 29, sábado, deu-lhes um novo ar de animação. Era um dia perfeito para se praticar um rapel em uma cachoeira. Melhor ainda quando esta possui cerca de 70 metros de queda d’água.

A cachoeira
Jorge, Rodrigo, Wallace e Anderson
A aventura começou dentro do carro: alguns quilômetros em uma péssima estrada de chão que liga o município de Trajano de Moraes à Sodrelândia, onde a cachoeira fica localizada. Ao chegar, o grupo iniciou uma breve trilha para alcançar o início da queda d’água. “Quando chegamos lá em cima, ficamos maravilhados com a vista”, relata Anderson. Os aventureiros registraram alguns momentos com suas câmeras fotográficas e começaram a se aprontar para a descida.

PC rapelando
Após a preparação para o rapel, utilizando equipamentos como cordas, freios, capacetes, baudrier - cadeirinha - e fitas, Wallace iniciou a descida. O rapel não foi nada fácil, pois a pedra estava bem escorregadia e cortante. PC, o segundo a descer, passou por maus bocados. Quando estava prestes a terminar a aventura, levou um escorregão e ficou de ponta cabeça. O experiente alpinista foi obrigado a abusar de toda sua experiência para evitar um acidente.


Wallace no rapel
Rodrigo Sprint acompanhou o aniversariante Anderson Trekkinho e ambos rapelaram em dupla. Assim, não enfrentaram maiores problemas e puderam sentir toda a adrenalina com mais segurança.

Rodrigo Sprint e Anderson Trekkinho na descida

Jorge e Wallace
Por último, o veterano Tio Jorge fechou com chave de ouro o rapel pela cachoeira. Ele desceu acompanhado de Wallace, mas a dupla não obteve o mesmo sucesso de Anderson e Rodrigo. Mas em questão de emoção e adrenalina, ambos se superaram. Há alguns metros do fim da cachoeira, a corda simplesmente chegou a seu ponto final. Ela não foi suficiente para completar a descida. Assim, os dois perderam um bom tempo tentando achar uma solução para contornarem a situação.  Após cerca de duas horas, os aventureiros conseguiram chegar em segurança, para a alegria de todos os “telespectadores”.

Galera se aventurando em um rapel de aproximadamente 70 metros

Ao grupo, que fora completado por Ramon, o Besouro, Soraya e Mirna, restou desfrutar da gelada queda d’água da belíssima cachoeira e depois curtir um churrasco para relembrar os acontecimentos da aventura. Acontecimentos estes que antes eram emocionantes, mas que depois se tornaram engraçados.

A rapaziada ainda se arriscou a brincar, à noite, no slack line. Confira mais fotos abaixo do fim de semana em Trajano de Moraes:

Wallace
Jorge e Wallace na queda d'água


Rodrigo Sprint arriscando passos no Slack Line
Wallace se equilibrando
Comemoração do aniversário do Anderson
Enfim, um belo fim de semana em Trajano de Moraes em uma incrível atividade outdoor entre amigos. Deixo aqui os meus parabéns ao Anderson e um abraço a todos os aventureiros.

Crédito das fotos: Wallace, Rodrigo Nogueira Peixoto, Anderson Trekkinho e Soraya

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cachoeiras São José e Indiana Jones

Pico da Caledônia

Um paraíso chamado Macaé de Cima