Semana Santa em Três Picos de Salinas

Nada melhor do que um feriado prolongado para curtir a tranquilidade da natureza e a paz de se acampar. Se for na Semana Santa então, nem se fala. Passei dois dias em meu lugar favorito de Nova Friburgo, no Parque Estadual Três Picos (PETP). A expectativa era do local estar cheio de montanhistas, e não foi diferente. No Capacete, toda hora haviam escaladores desafiando suas vias, principalmente a CERJ. O Vale dos Deuses então, camping do parque, estava com pelo menos 8 barracas. Graças a Deus um pessoal muito legal e consciente com o ambiente, com quem pudemos trocar boas idéias e conversar bastante.


Vale dos Deuses antes da chegada do pessoal

Desta vez, meu parceiro de trekking foi o grande amigo João Gabriel, mais conhecido como Guinin. Ele não conhecia o lugar, apenas por fotos, e como todo mundo que vai pela primeira vez em Salinas, ficou abobado com a imensidade e beleza das rochas e da flora do lugar. A única coisa que o assustou foram os bois, mas isto confesso que também me deixou assustado. Pegamos o ônibus de 19:30 na quarta feira e por volta de meia noite estávamos no Vale. Levantamos acampamento, jantamos e fomos dormir num friozinho quase agradável. 

Ao acordar, tomamos um forte café da manhã e partimos para a Caixa de Fósforo, pedra do parque que ninguém consegue explicar como consegue estar equilibrada. 


À caminho da Caixa

Vale dos Deuses

Para se chegar na trilha, deve-se atravessar parte do vale, contornando o Pico Maior e o Capacete, passando por alguns riachos. Não existem placas direcionando o caminho, mas é só seguir o que já foi trilhado - está bem marcado no chão - para se alcançar o destino. Ficará, em certo momento, de frente a pedra do Capacete, o que é um bom indicador de que não está perdido. Depois disso, tudo é sinalizado com fitas nas árvores.

Caixa de Fósforo


Pretendendo Viajar? 
Vá com a AFCC Aventuras. Descontos especiais para Leitores Blog do Puga
Informações: mathewspuga@afccaventuras.com.br

O dia não era dos mais bonitos. Céu fechado e ventando forte, mas nada que nos desanimasse de continuar nossa viagem. Entramos na trilha e começamos a subir cada vez mais. Não se demora muito para chegar na Caixa, cerca de uma hora do Vale dos Deuses até o local, ou seja, algo pouco cansativo e muito bom para se fazer. O visual é algo espetacular! Você fica nada mais nada menos entre a Caixa de Fósforo e os Três Picos junto ao Capacete. Algo que nem por fotos consegue-se retratar.

Os Três Picos e Capacete cobertos de nuvens

Caixa de Fósforo

A pirambeira 

A aventura conta com um trecho inclinado em que é necessário usar uma corrente que está presa em um grampo, nada demais. O ponto mais difícil é quando se chega na parte final da trilha: uma parede com uma corda presa à uma altura de mais ou menos quatro metros. A opção mais válida, na minha opinião, é subir pelo canto da rocha. Você sobe em uma pedra, fica entre duas paredes e se pendura numa árvore, o que diminui o risco de cair e a altura, além de ser mais fácil. Desse modo fica muito mais acessível para que mais pessoas consigam alcançar o objetivo. Passando desse pequeno desafio, é só admirar a paisagem e curtir a acrobática Caixa de Fósforo.


Momento Super-Homem

Voltando ao Vale dos Deuses, almoçamos (self service: miojo), conversamos com o pessoal que estava por lá, tomamos aquele banho mais gelado do mundo e deitamos na barraca. Havíamos dormido muito pouco e por isso estavamos bem cansados. O tempo abriu e tivemos um surpreendente anoitecer, o que gerou grande expectativa de como seria o dia seguinte.


Pico Maior e Capacete

Amanheceu um belo dia e decidi subir a Cabeça de Dragão com Guinin para que ele conhecesse mais uma montanha do parque, esta com 2089 metros e com vista panorâmica para o Pico da Caledônia, a Serra dos Órgãos e a Baia de Guanabara. Pena que o tempo fechou e muita coisa ficou tapada, mas valeu pelo trekking. Em uma hora estavamos no topo, descansando e assinando o livro de cume. Detalhe para os amigos Rodrigo Sprint e Anderson Trekkinho que haviam registrado a mesma aventura à uma semana, na ATM Três Picos.

Pico Maior sendo coberto pelas nuvens

Pico da Caledônia

Caixa de Fósforo vista da Cabeça de Dragão

Crista

Pico Maior e Capacete



Guinin

São Lourenço

Ao descer, desarmamos a barraca, guardamos nossas coisas, almoçamos e descemos para pegar nosso ônibus. Foi um belo feriado em Três Picos e infelizmente fomos embora no dia mais bonito. Um grande abraço e confira mais fotos abaixo e o vídeo:


Cabeça de Dragão

O Pico Maior

Os Três Picos


Comentários

  1. Por motivos de trabalho infelizmente não pude estar presente em mais uma aventura do blog do Puga, as fotos estão mt fodas, parabéns !!!travessia tamo junto, grande abraço !!!
    e SAN !!

    ResponderExcluir
  2. Com certeza, já está chegando a data! Valeu Bê, SAN!

    ResponderExcluir
  3. Quero estar presente na proxima vez,me chama na moral!!!
    OBS:parabens pela sua preocupaçao com o meio ambiente,recolha sempre seu lixo
    abraçao para toda equipe do blog do puga

    ResponderExcluir
  4. Pode deixar Vinição, sempre te chamo cara! Haha
    Muito obrigado, grande abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre a matéria. Evite comentários em anônimo. Favor se identificar.

Palavrões e insultos não serão aceitos.

Postagens mais visitadas deste blog

Pico da Caledônia

Descobri as aldeias da Galícia de onde vêm os Pugas

Refúgio Pedra Aguda