Pedra da Catarina Mãe

Hoje, "finalmente", subi a primeira montanha no ano de 2011. Sei que já é cedo pra isso, mas como a secura é grande e a temporada de montanhismo está um pouco distante, resolvi fazer um trekking muito comum aqui em Nova Friburgo: a trilha da Pedra da Catarina Mãe, mais conhecida como Catarina. É, sem dúvida nenhuma, a montanha mais popular da cidade, localizada no bairro Vale dos Pinheiros, com duração de cerca de 50 minutos. Muito conhecida pelas suas pistas de downhill, muitos ciclistas e motoqueiros exploram a região e o cume possui uma bela vista do centro da cidade.

Catarina
Fui com dois amigos meus, Guinin e Pedrinho. O dia amanheceu bonito, mas não ficou aberto. Saímos do centro de Friburgo a pé e logo estávamos no pé da montanha, ao lado de um condomínio. A nossa preocupação era se o caminho estaria bom devido as barreiras que desabaram na tragédia da região serrana, mas estava tudo perfeitamente no lugar. 


Pelo caminho, visualizamos a Pedra do Imperador, também conhecida como Pedra do Elefante, lugar de onde se tem também uma ótima vista para a cidade e possui vias de escaladas e boulders.

Pedra do Imperador

Ao longo da trilha, encontramos um habitante da Catarina e foi merecedor de uma pausa para foto.


Depois passamos pela tradicional casa do índio e aí sim começou a ficar íngreme. Daquele ponto até o topo seria tudo num piscar de olhos.





Pretendendo Viajar? 
Vá com a AFCC Aventuras. Descontos especiais para Leitores Blog do Puga
Informações: mathewspuga@afccaventuras.com.br


Como eu havia dito, logo logo estaríamos no topo, e foi o que aconteceu. Nos defrontamos com vários morros e pedras com os desabamentos que tiveram em Friburgo, coisa de se espantar, e também com o belo visual pro centro da cidade.



Imperador




Fizemos um lanche, tiramos muitas fotos, curtimos o visual pelo binóculo e finalmente era tempo de descer.

Eu, Guinin e Pedrinho

Como sempre, desci  a Catarina correndo, para forçar menos o joelho, e meus amigos me acompanharam. No fim da trilha mais íngreme, pegamos outra trilha que nos levou a um riacho com uma queda d'água que escorria por um cano, deu pra nos refrescar bem, foi um bom alívio, pois o sol estava bem quente. 


Os equipamentos que utilizamos nesta aventura foram os mais simples: botas para montanhismo - impermeáveis -, mochilas de ataque e roupas com tecido Tech Dry.

Bom, aqui termina o relato do trekking de hoje, com direito a um vídeo que fiz. Confira abaixo:


Um abraço a todos.

Comentários

  1. Um dia ainda quero fazer essa caminhada, espero que me acompanhe ;) adorei! bjs Mari

    ResponderExcluir
  2. Então quer dizer que o caminho estava intacto? Que coisa né cara?! Dá pra ver nas fotos que vc tirou as montanhas "rasgadas" devido à forte chuva do dia 11/01/11 e madrugada do dia 12/01/11.
    Gostei das fotos! Vamos marcar pra subir a Caledônia numa segunda feira! hahaha

    Abraço Puguinha!

    ResponderExcluir
  3. Intacto Senninha, impressionante. A única barreira que caiu foi alí perto da casa do Índio, mas mesmo assim longe da trilha.
    Valeu e pode apostar que ainda subiremos o Caledônia numa segunda feira (NÃO FAÇAM ISTO, FICA FECHADO PARA MANUTENÇÃO)! haha
    Abraços

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário sobre a matéria. Evite comentários em anônimo. Favor se identificar.

Palavrões e insultos não serão aceitos.

Postagens mais visitadas deste blog

Pico da Caledônia

Cachoeiras São José e Indiana Jones

Três Picos de Salinas